sexta-feira, 13 de agosto de 2010

O vento...




Onde andas tu oh vento?



Eu hoje me perguntei: não estará o ar parado demais?



Vi-me pensando saudosa no vento que tantas vezes bagunçou meu cabelo, cegou minha visão, tirou-me o fôlego, secou meus lábios... mudou a ordem do meu script de vida, sempre tão certinho, sempre tão ordenado, sempre tão do jeito que eu planejei...



O mesmo vento que fez bagunça, que trouxe surpresa e desordem é o vento que me trouxe de longe a brisa de outras paragens, trouxe cheiro de chuva, trouxe brisa do mar, trouxe perfume de flor, cheiro de mato, comida fresca ou café... Vento daqui, vento de longe ou vento de perto... soprou e fez tudo diferente... parou e novamente vi tudo mudar... trouxe frio, mas me fez pensar se ele na verdade não queria me trazer calor, já que por sua causa procurei aconchego e pude me aquecer...



Penso que o vento não tem lugar pra si e passa a vida em busca de uma paz inquieta... Vento solitário passa por nós e de nós leva um pouco, mas quando vem traz um pouco de si que é na verdade, um pouco de cada pessoa e cada lugar por onde passou... quem és tu vento? Quando hás de encontrar teu lugar? Lembra-te de onde começaste e pra lá tenta voltar, aí encontrarás a força que te fez rodar o mundo pra descobrir que não existe lugar melhor pra ser feliz do que aqui... Onde é aqui? Aqui é exatamente onde se quer estar...



Volta vento, cheio de histórias pra contar, mesmo não tendo uma história sua pra me mostrar... aquieta-te perto daquela colina e quem sabe com a vista lá de cima, vejas que sempre há alguém aqui à espera de você...